Os limões da tequila. A tinta da caneta. As paginas do livro. E o açucar do café!

Seguidores

Relatos de uma ex-prozac

Vivendo como um sonho

Não é fácil quando você sabe que não é real

Eu me forcei a isso

E ela sempre me puxava pro fundo

Eu tentei levantar

E ela me colocou no chão novamente

Não é fácil viver

Quando não se sabe se amanha será um novo dia

Mas a diversão nunca acaba

Eu me tornei invencível

Porque no fundo eu sabia

Que não duraria muito

Mas você sabe a diversão nunca acaba

Eu acreditei na minha verdade

Bem, na maioria das vezes

Eu estava alterado demais pra me importar

Eu não segui regras

E no fundo todos sabemos

Que morreremos jovens

Eu virei noites

E enchi a cara

Quando ainda choramos sós

Por palavras não ditas

Imaturo e sem educação

Um pouco estúpido, mas eu fiz meu mundo

E não me cobre

Se eu não quiser aparecer hoje

Talvez eu precise de outra dose

E ela sempre vai estar forçada a mim

Do mesmo jeito que eu estou preso a ela

Eu cavei meu buraco

Sim, eu cavei bem fundo

Mas eu só queria me divertir

Porque o inferno não é o limite

Porque não é fácil fugir dele mesmo quando se procura o céu

Eu vivi cada segundo

Porque eu nunca me importei com o amanha

E eu me fiz forte

Até o dia em que ela se foi

Eu fiquei preso a ilusões e memórias

E aqueles foram dias infernais

Eu nunca me arrependi

Mas talvez eu faça certo da próxima vez

Imobiliarias
Contador grátis

2 Vomite suas palavras aqui :D:

Felipe Braga disse...

Texto bastante sentimental, como sempre. Me identifico muito com as coisas que você escreve. Encontro comigo mesmo em vários trechos dos textos teus.

Ana (: disse...

Muitoo bom amiga ^-^
e como o coleguinha de cima, sempre me identificando com o que você escreve (será q ele é um terceiro sagitáriano? :O OMG! hahaha)

ps: Só, só, só, só o amooor... só o amoor, faz o mundo andar! hauahuahuahau

Beijãão ;*